Nova Cepa se espalha e estado vai endurecer Plano São Paulo

Nova Cepa se espalha e estado vai endurecer Plano São Paulo

Feita há pouco mais de uma semana, a afirmação do prefeito Edinho Silva de que as taxas de infecções e internações estavam se agravando em várias regiões do estado, começa a ser admitida publicamente pelo governo paulista.

Edinho chamava a atenção de prefeitos e autoridades de todo o País para a agressividade da nova cepa, que se espalha muito rapidamente, infecta e agrava os casos também de maneira rápida, e amplia assustadoramente os registros de internações levando o sistema de saúde a uma situação crítica em um espaço de tempo muito curto, incluindo aí a alta demanda por leitos de UTI.  

E o fenômeno parece realmente estar em curso.

A preocupante informação foi confirmada nesta segunda-feira (22) em pronunciamento do secretário da Saúde do Estado de São Paulo, Jean Gorinchteyn, que revelou durante coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes que o estado bateu o recorde histórico de pacientes internados por covid-19 em Unidades de Terapia Intensiva (UTI) desde o início da pandemia.

A preocupação das autoridades da saúde não é apenas com a alta taxa de internações em UTI verificada nos últimos dias, mas também com a possibilidade de pacientes estarem ficando por mais tempo nas unidades.

O estado já está monitorando a situação em busca de maiores informações que permitam elaborar uma estratégia segura de enfrentamento ao que está por vir.

O aumento dos casos por todo o estado, e a crítica situação em que algumas regiões já começam a se ver, fez com que o órgão elaborasse uma série de recomendações extraordinárias, além das regras já previstas no Plano São Paulo, que devem ser anunciadas na quarta-feira (24).

Ou seja: o estado vai endurecer o Plano São Paulo ainda mais e ampliar as restrições de circulação das pessoas para tentar evitar a proliferação desenfreada da nova cepa pelo estado.

A medida visa evitar o colapso simultâneo do sistema de saúde em várias regiões, o que certamente causaria uma tragédia de grandes proporções, visto que são muitas as localidades com boa estrutura hospitalar e de leitos para fazer frente a um inesperado aumento de casos e de internações.

Essas medidas começarão a valer na sexta-feira (22) e vão se tratar da redução de mobilidade, da movimentação de pessoas. "É o que podemos fazer nesse momento para reduzir a transmissibilidade, independentemente de ser ou não variante", disse o secretário executivo do Centro de Contingência da Covid-19, João Gabbardo sobre os anúncios da próxima quarta-feira, dia em, que o governo vai atualizar o Plano São Paulo.

A situação de Araraquara segue monitorada pelo governo estadual.