Em nota, Fiesp diz que Dória aumenta impostos e descumpre palavra

Em nota, Fiesp diz que Dória aumenta impostos e descumpre palavra

"Os decretos sobre ICMS publicados nesta sexta-feira (15) pelo governo de São Paulo são uma decepção para todos os contribuintes do estado".  A frase é parte de uma nota emitida nesta sexta-feira, (15), pela Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp). A nota diz mais, e afirma que os três decretos publicados hoje pelo governador “...são um tímido recuo diante da ruinosa tragédia fiscal que o governo Doria quer colocar em prática”.

O governador João Doria (PSDB) publicou as mudanças nas regras do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), revogando reajustes determinados pelo seu governo e previstos para insumos agropecuários, hortifrutigranjeiros, energia elétrica para propriedades rurais e medicamentos genéricos.

"Pressionado pela ameaça de protestos, o governador João Doria havia se comprometido publicamente a rever a alta generalizada de impostos. Chegou a dizer que não permitiria que a "população mais vulnerável" fosse penalizada com o aumento da carga tributária", diz a nota da Fiesp. "Infelizmente, o que o governador Doria fala, não se escreve."

Segundo o texto, as medidas tomadas pelo governador nesta sexta-feira (15) “...deixam claro que o governo quer manter o aumento para produtos como derivados de leite, carne, insumos hospitalares (inclusive seringas) e insumos das indústrias, entre tantos outros”, afirma.

Segundo a Fiesp, "viver em São Paulo ficará mais caro. Produzir em São Paulo ficará mais caro. Gerar empregos em São Paulo ficará mais caro".

"Aumentar qualquer imposto é inaceitável. Por isso, a Fiesp luta na Justiça para reverter os aumentos de tributos de todos os setores atingidos, pois ameaçam o consumo das famílias e os empregos de São Paulo. Iremos até o fim contra essa tirania praticada por aqueles que deveriam zelar pelo bem de nosso estado."