A partir de março vacinação deve ganhar força em todo Brasil

A partir de março vacinação deve ganhar força em todo Brasil

O Ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse nesta 4ª feira (17) que o governo espera receber 230,7 milhões de doses de vacinas contra o coronavírus até julho, o que aceleraria o processo de vacinação por todo o Brasil.

Pazuello divulgou o cronograma atualizado da chegada de novas doses em encontro com o Fórum de Governadores. O anúncio foi muito bem recebido pelos chefes de Executivo, que saíram do encontro bastante aliviados e confiantes.

Segundo Pazuello, o ministério da Saúde deve receber 11,3 milhões de doses ainda neste mês de fevereiro, mais 46 milhões de doses em março, 57,2 milhões de doses em abril, 46,2 milhões de doses em maio, 34,6 milhões de doses em junho e mais 16,5 milhões de doses no mês de julho.

Importante ressaltar que o Instituto Butantan anunciou ontem (quarta-feira) a antecipação de seu cronograma de entrega, e a liberação de mais 54 milhões de doses da CoronaVac já para o mês de agosto. O lote estava prometido para setembro.

O governo afirma que serão necessários 154,4 milhões de doses para vacinar os grupos prioritários, e Pazuello afirmou que o país deve chegar a esse número até o final de maio, considerando as doses já recebidas em janeiro e o cronograma divulgado agora.

 

Outros lotes

Pazuello também contabilizou os 2 milhões de doses da vacina de Oxford já importadas da Índia e os 8,7 milhões de doses de CoronaVac entregues pelo Butantan em janeiro. O Brasil também receberá, até junho, mais 8 milhões de doses da vacina de Oxford pelo Covax Facility, totalizando 10,6 milhões de doses pelo consórcio.

A Fiocruz deverá entregar mais 110 milhões de doses da vacina de Oxford no 2º semestre, com produção 100% nacional.

De acordo com o Ministério da Saúde, a União Química produzirá 8 milhões de doses da Sputnik V por mês, depois que incorporar a tecnologia de produção do IFA da vacina.