Prefeituras se mobilizam e decidem comprar vacinas

Prefeituras se mobilizam e decidem comprar vacinas

Depois da decisão do Plenário virtual do Supremo Tribunal Federal que permite a estados e municípios a aquisição de vacinas internacionais que já obtiveram a aprovação de entidades sanitárias internacionais de renome, mesmo que ainda não registradas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), a Frente Nacional de Prefeitos (FNP) anunciou que já está criando uma estrutura para participar da compra de imunizantes para o Brasil

A afirmação veio de Jonas Donizette (PSB), presidente da entidade, que comemorou a decisão e o fim das dúvidas jurídicas sobre o assunto. A medida deu início a um movimento para que prefeitos assumam a missão, que até agora era apenas do governo federal.

A FNP não reúne todos os prefeitos do Brasil. E nem todos poderão participar da compra com os mesmos valores. Mas Donizette spera que a distribuição das vacinas seja igualitária e proporcional, seguindo o PNI (Programa Nacional de Imunização).

Ele disse, porém, que os municípios não vamos atrás de vacinas que o Brasil, que o governo federal, está comprando. “A ideia é somar e não competir", falou.

De acordo com Jonas, a ideia inicial é investir na compra da vacina da Pfizer, lembrando que o governo federal já se recusou a comprá-la no ano passado, alegando que não pretendia assumir a responsabilidade por eventuais efeitos adversos. “Agora, os municípios poderão fazer a negociação com a empresa e assumir essa responsabilidade”, disse.

Diversos países de Europa e da Ásia estão aplicando a vacina com esse acordo e não tiveram problemas graves. O imunizante da Pfizer teve ontem seu registro definitivo aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Jonas explicou ainda que a entidade pensa em trabalhar de forma conjunta com o Ministério da Saúde, até pela necessidade de contar com órgãos federais para regularizar as importações.

“Não queremos fazer nada apartado. Vou defender que vacina não fique concentrada, para não ter disparidade. Que cada vacina adquirida por prefeitos seja incluída no PNI. Essa soma de esforços dos municípios é na intenção de ajudar", prometeu Jonas.

Apesar de o Ministério da Saúde ainda não ter assinado um acordo com a Pfizer, após oito meses de negociações, Donizette acredita que é possível que o governo federal pague pelos imunizantes que forem adquiridos pela FNP.

"O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, disse na reunião de sexta-feira passada que todas as vacinas que os municípios conseguirem, o governo federal paga”, lembrou.